Autoavaliação - Faculdade Integrada Grande Fortaleza - FGF

FGF - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza

Central de Atendimento
0800 600 8700

Autoavaliação

A CPA tem como objetivo assegurar a condução do processo de avaliação interna da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza – FGF, da sistematização dos dados coletados e da prestação de informações solicitadas pelo INEP, estando vinculada à Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES do Ministério de Educação. Suas atribuições estão definidas na Lei nº 10.861, de 14/04/2004.

O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES – determinou a extinção do Exame Nacional de Cursos (Provão), passando a compor a avaliação do ensino superior brasileiro, dentro das novas diretrizes estabelecidas, em três pilares:

  • Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE);
  • Avaliação externa, a ser executada por uma comissão indicada pelo MEC;
  • Autoavaliação institucional, realizada pela CPA.

A Comissão Própria de Avaliação – CPA – tem o objetivo de avaliar internamente a nossa Instituição.

Algumas informações complementares estão disponibilizadas nos tópicos abaixo, para conhecimento da comunidade acadêmica e, principalmente, para exortar à participação de todos no processo avaliativo.

1. SOBRE A CPA
2. CONSTITUIÇÃO
3. SALA VIRTUAL
4. PRINCÍPIOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
5. SINAES
6. PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
7. CONTATO
8. LINKS

1. Sobre a CPA

A avaliação institucional interna (autoavaliação) promovida pela CPA está inserida no contexto do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) que, instituído pela Lei nº 10.861 de 14 de abril de 2004, tem, entre suas finalidades, a melhoria da qualidade da educação superior, a expansão de sua oferta e o desempenho da instituição como um todo nos aspectos estruturais e acadêmicos, tanto no corpo de funcionários como no corpo docente.

Mais esclarecimentos sobre o seu funcionamento poderão ser prestados pela Coordenação da CPA/FGF localizada no bloco “A” e no site da FGF.

Clique aqui  e veja o edital das Eleições da CPA 2015.

Clique aqui  e veja o resultado completo das Eleições da CPA 2015.

Clique aqui e veja o Regimento Interno da CPA.

2. Composição da CPA

Com vistas a dar maior representatividade à Comissão Própria de Avaliação – CPA da FGF, em observância a legislação que instituiu o SINAES, foi assegurada, na sua composição, a participação dos diferentes segmentos da comunidade universitária e da sociedade civil organizada. São seus integrantes:

relatorio-cpa-2015-versao-final

Nome Segmento
Irapuan Diniz de Aguiar – Coordenador
Juliana Abifadel Barrozo – Representante da Mantenedora
Paulo Roberto Melo de Castro Nogueira – Representante da Direção Acadêmica
Maria Coeli Saraiva Rodrigues – Representante do Corpo Docente
Arifran Barbosa Vidal – Representante da Comunidade
Francisco Davi Silva Barbosa – Representante do Corpo Discente
Adolfo Marinho de Pontes – Representante da Sociedade

Clique aqui e veja a portaria de nomeação dos membros da CPA.

 

3. Sala Virtual
Tão logo foi constituída a CPA/FGF, foi estabelecida uma sistemática de trabalho que permitiu uma permanente e constante interação entre seus membros, uma vez que a Comissão organizou-se com o apoio de uma SALA VIRTUAL, com a adequação do ambiente TelEduc existente na FGF. Com isto, deu-se uma maior agilidade e eficácia ao processo avaliativo, possibilitando, ainda a todos os membros, acesso ao material de apoio disponibilizado, textos de interesse geral, fórum de discussão de temas sob avaliação, correspondência, troca de e-mails, etc.

4. Princípios da Avaliação Institucional
A Avaliação Institucional deve ser feita obedecendo aos seguintes princípios:

• Ser contínua e organizada em ciclos anuais;
• Contar com a ampla participação da comunidade acadêmica em todas as etapas da avaliação de seus resultados;
• Focalizar o processo de autoavaliação nas diretrizes do PDI e do Projeto Pedagógico Institucional;
• Ter foco nos processos coletivos e não na avaliação do indivíduo;
• Utilizar, com o maior grau de integração possível, métodos qualitativos e quantitativos de avaliação;
• Ser constituído de métodos de simples entendimento e administração;
• Ser adaptável às necessidades e características da FGF ao longo de sua evolução;
• Assistir à instituição na avaliação e adequação dos seus princípios e missão bem como no seu PDI;
• Criar uma cultura de avaliação em toda a instituição, focalizada na constante melhoria e renovação de suas atividades;
• Fornecer à gestão institucional, ao poder público e à sociedade uma análise crítica e contínua da eficiência, eficácia e efetividade acadêmica da FGF.

5. SINAES
Com vistas a promover a melhoria da qualidade da educação superior, a expansão de sua oferta, o permanente crescimento de sua eficácia institucional, bem como sua efetividade acadêmica e social, o governo, através da Lei nº 10.861/2004, instituiu o SINAES. Este novo sistema de avaliação das IES, por orientar políticas governamentais no setor, é subordinado a alguns princípios dentre os quais cumpre destacar por sua essencialidade:

• Responsabilidade social com a qualidade da educação superior;
• Reconhecimento da diversidade do sistema;
• Respeito à identidade, à missão e à história das IES;
• Globalidade, ou seja, a compreensão de que cada instituição deve ser avaliada a partir de um conjunto de indicadores de qualidade, vistos dentro de uma organicidade e não de forma isolada;
• Continuidade do processo avaliativo.

6. Programa de Avaliação Institucional
O Programa de Avaliação Institucional reveste-se de caráter dialógico, ao buscar a participação de todos os membros da comunidade acadêmica, seja durante o procedimento de avaliação propriamente dito, seja na utilização de seus resultados de modo que o conjunto de avaliadores – avaliados não de caracterize por posições antagônicas, mas facetas comuns a toda e qualquer parte integrante da organização.

Busca, também, o levantamento participativo de informações a respeito da instituição, utilizando-se da conjunção de modelos de avaliação responsiva, de modo a beneficiar-se não apenas dos resultados intencionalmente produzidos, mas também daqueles que, embora extremamente significativos, involuntariamente se fazem observar.

Orienta, ainda, a instituição na busca do autoconhecimento, de forma a favorecer o desenvolvimento do potencial inovador de seus integrantes, nas diferentes instâncias gerenciais que a compõem, paralelamente aos procedimentos de gerenciamento de recursos humanos e materiais que a instituição possa instaurar.

Resguarda, por fim, o bem estar pessoal e social dos envolvidos no processo, por meio de direcionamento imparcial dos procedimentos, de modo que a comunidade acadêmica perceba a avaliação institucional como instrumento ético de desenvolvimento de pessoas e processos.

Por tudo isto, a avaliação há de ser rotineira, obedecendo a uma peridiocidade regular, sem estar associada a momentos de crise, devendo, por conseguinte, ser percebida não como ameaçadora, mas caracterizar-se como produtiva e propiciadora de melhorias de desempenho institucional.

7. Participe da Avaliação Institucional
Sugestões para a Avaliação Institucional por parte da comunidade acadêmica podem ser enviadas para o e-mail da FGF ou diretamente para o e-mail da coordenadora da CPA, irapuan@fgf.edu.br.

Unidades Administrativas da FGF ou segmentos organizados da comunidade acadêmica podem, também, solicitar a CPA reunião para a discussão de temas relevantes ao processo de avaliação.

8. Links
www.mec.gov.br/conaes
www.mec.gov.br/inep